FORMAÇÃO CONTINUADA CRÍTICA DE PROFESSORAS DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA/ADICIONAL: problematização de discursos e constituição ética dos sujeitos

R$ 45,00
Disponibilidade: 50
Editora: Pontes Editores
Ano: 2018
ISBN: 9788521700425
Visualizado: 361
Autor (es): Maria Eugênia Sebba F. de Andrade
Páginas: 260
Qtd:     


As melhores Seleções estão aqui!
PONTES EDITORES

Dúvidas ?
Fale agora com nossos vendedores
Fone: 19 3252-6011

 

Este livro é fruto de uma investigação valiosa para a contemporaneidade que
demanda uma formação de professores de língua inglesa como língua
estrangeira/adicional sensivelmente atualizada. Nesse sentido, o livro
destaca a ética da compreensão das relações de poder/saber (FOUCAULT, 1997)
que muito contribuiu para uma revisão das
ontologias-epistemologias-metodologias hegemônicas vigentes não somente na
Linguística Aplicada, mas também nas outras áreas do conhecimento que
conversam com a mesma. Mas, o aspecto inestimável deste trabalho é a
capacidade da pesquisadora de fazer dessa compreensão uma possibilidade para
desenvolver interações com as professoras de língua inglesa e
autocriticamente reavaliar suas convicções teórico-práticas. Sua própria
construção de escrita apresenta mudanças de atitude na relação pesquisadora
e participantes da pesquisa. Ou seja, essa escrita traz para o palco as
intersubjetividades e posicionamentos em relação à convivência com as
práticas por meio da língua inglesa de forma honesta e respeitosa, uma
característica importante no jogo dos conflitos inerentes ao processo de
formação de professores. 

A autora problematiza os conflitos vivenciados pelas participantes ao mesmo
tempo em que repensa suas escolhas discursivas e transculturais no que tange
aos diálogos, materiais, aos procedimentos e às reconstruções identitárias
nas atividades propostas com embasamento da perspectiva crítica de
língua/linguagem, poder, conhecimento e agência. Ao fazer isso, novas
problematizações são geradas, pois não basta reconhecer a sala de aula como
um espaço social e cultural; é preciso romper com a dicotomia entre o social
e psicológico, pois essa dicotomia obscurece a relação existente entre o
social cultural e o político, a qual está intimamente ligada às questões de
identidade, subjetividade e diferença. (p. 98) 

Outra inovação é a natureza colaborativa da pesquisa incluindo o fato de que
a escrita é devolvida às professoras para que elas entendam a apreensão da
pesquisadora sobre o processo e tenham a oportunidade de inserir suas visões
e de rever seus contextos socioculturais. Assim, as protagonistas avançam e
retomam, desconstroem e reconstroem sentidos em várias direções. Entendo que
a criatividade e ética desse gesto promove espaço para engajamento e
coautoria com uso de inglês em suas diversas modalidades ressignificando a
experiência diária das participantes e da pesquisadora, “de uma perspectiva
local” (p. 108). Este livro interessa aos educadores, professores de
línguas/linguagens, pesquisadores de letramentos, desenhistas de currículos
e de políticas linguísticas e àqueles que contam com um futuro promissor no
âmbito das humanidades. Eis uma obra que dificilmente terá prazo de
validade.

Nara HirokoTakaki
Docente de Letras da UFMS

Informações
Autor (es) Maria Eugênia Sebba F. de Andrade
Páginas 260

Fazer um comentário

Seu Nome:


Seu Comentário: Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.

Avaliação:    Ruim            Bom

Digite o código da imagem: